Música

4AD: encarando o outro lado

4AD: Facing The Other Way

Muito antes de me familiarizar com nomes como Sub Pop, Factory ou Warp, a 4AD era parte do meu vocabulário. Foi o primeiro selo que identifiquei como tal, nome agregador de bandas que curtia na adolescência: X-Mal Deutschland, Pixies, Dead Can Dance, Bauhaus – e Cocteau Twins em especial (mais sobre eles aqui).

O som era espacial, feminino, climático. A 4AD, nascida de Peter Kent e Ivo Watts-Russel em Londres em 1979, tinha no visual uma característica importante de identificação. Não das bandas, apesar de parte delas exagerar no carão 80s, com pele excessivamente alva, cabelos desfiados e roupas pretas. A unidade vinha das capas dos discos, a embalagem aproximando até mesmo bandas que fora da gravadora tem pouco ou nada a ver uma com a outra – como Breeders e This Mortal Coil.

4AD: Breeders, ThismortalCoil

Não foi a primeira nem última gravadora a entender o poder estético. Os colegas da seminal Factory, por exemplo, anos antes fizeram bom uso do designer Peter Saville. Mas as vicissitudes do selo estão em alta por causa de Facing the Other Way, The History of 4AD, livrão recém-lançado e sobre o qual estou doida para colocar as mãos. O volume conta a história da 4AD dando especial valor à parte gráfica, assinada pelo artista que fez a vasta maioria de suas capas e capturou sua essência, Oliver Vaughan.

Apesar de ter no cast artistas que inspiram adoração como Cocteau Twins e, mais recentemente, The National e a canadense Grimes, a 4AD nunca foi especialmente popular. A balança do selo sempre pendeu bem mais pro artístico do que pro comercial e mesmo apostas que foram parar no Top of the Pops, como o Lush, não se tornaram realmente populares. O selo alcançou pouca fama no sentido tradicional da palavra. O Pixies fase Bossanova é o que de mais próximo que a gravadora sentiu de sucesso de verdade – e estamos falando de uma banda que ficou célebre por ter inspirado o Nirvana.

Junte-os à Dead Can Dance, Throwing Muses, X-Mal Deutschland e, mais recentemente, The National e Ariel Pink’s Haunted Graffiti e você tem uma gravadora com credenciais fantásticas, um catálogo extenso de bandas interessantes, onde para cada Bauhaus e Breeders (Last Splash, o disco que tem “Cannonball”, saiu pela 4AD em 1993) há um Red House Painters ou um Clan of Xymox

Facing the Other Way: the History of 4AD é da HarperColins. Dá pra encomendar na Amazon Brasil.
Foto do livro: lars.ingebrigtsen.no

* O How to Travel Light recebe comissão de venda a partir dos links nesse post. Mas isso não altera o preço para você :)

Mais 4AD
http://4ad.com
Página do livro no facebook