Comida, Mas Você Vai Sozinha?, Portugal, Viagem

Fui Sozinha: Porto, Portugal

Fachada na cidade velha de Porto

Eu já tinha estado no Porto antes. Mas nessa última viagem para Portugal de alguma forma eu passei por Porto mais três vezes, em diferentes situações. E tive tempo de explorar sozinha, hospedada no centro, com tempo e calma para tomar suco de laranja na Rua das Flores, tirar fotos na Torre dos Clérigos e caminhar na Ribeira. A Porto que encontrei no verão de 2016 foi diferente daquela do inverno de 2014. Encontrei uma cidade mais cheia e muito quente (afinal, era agosto, alta temporada)  mas também muito viva e colorida e enérgica. Por ser a cidade de Portugal que creio que vi mais vezes, foi Porto que escolhi para ser o primeiro de uma série de três publicações relacionadas aos novos episódios da série 3 Travel Bloggers que serão veiculados durante todo o mês de fevereiro. No fim desse post tem um teaser, mas fique de olho em 3 Travel Bloggers no Facebook – alguém me disse que esses são os vídeos mais bonitos do projeto até agora. E considerando as paisagens portuguesas, não duvido.

Por que o Porto?

Porque essa cidade no norte de Portugal reúne tudo que é maravilhoso no país: paisagens, pessoas, história, comida, arquitetura. Menos visitada que a capital Lisboa mas ainda assim bastante popular entre os turistas europeus, Porto tem esse status de “segunda cidade” como São Paulo para o Rio. Bobagem. Ambas as cidades são especiais a sua maneira. Melhor ainda, a viagem entre elas é curta.

Lembre de olhar para cima! As fachadas dos prédios do Porto, de diferentes etapas da cidade, são parte do charme.

Lembre de olhar para cima! As fachadas dos prédios do Porto, com azulejos coloridos, são parte do charme da cidade.

Quando e como ir

Como em todo o país, o clima é bom o ano todo, sendo bem seco e quente no verão (em agosto ondas de calor podem alcançar 40º) e úmido e frio no inverno (mas é raro cair para menos de 0º).

Penso que a melhor forma de viajar em Portugal é alugando carro, porque as estradas são ótimas, bem conservadas e sinalizadas. Mas estiver em Lisboa, considere fazer a viagem de trem. Leva três horas, o cenário é maravilhoso e os vagões de primeira classe tem refeições e vinho (dicas de trem na Europa nesse post). Também dá para fazer a viagem de trem a partir de Madrid.

Pra quem voa do Brasil, há voos diretos com a TAP.

Folgosa do Douro, Portugal,Gaía Passarelli

A estrada que sobe para o norte de Portugal a partir de Porto é uma das mais bonitas do país, com paradas como essa em Folgosa.

Onde fiquei

Por indicação de um amigo, fiquei num hostel chamado Being Porto, há uma quadra da Rua das Flores, bem perto da Ribeiro e com vista linda da parte baixa da cidade. Mas qualquer que seja seu estilo de viagem, você vai encontrar algo.  Há hotéis estilo business ao redor do aeroporto, cinco estrelas luxuosos como o The Yeatman, lugares charmosos no Airbnb. Porto também tem muitas opções de hostels com bons preços e opções de quartos privados – veja a lista no HostelWorld.

Vista do quarto no being Porto.

Vista do meu quarto no Being Porto, há dois minutos da Ribeira do Douro.

O que comer

A não ser que você tenha uma dica muito quente, fuja dos restaurantes caça-turistas na Ribeira. No lugar procure as muitas e pequenas tascas espalhadas pelo centro velho, algumas com apenas duas ou três mesas, servindo o que há de fresco e bom no momento. Um passeio pelo Mercado Bolhão parando para provar queijos e embutidos (escrevi sobre nesse post) é obrigatório, assim como uma parada para comer uma francesinha, o pesado e quente sanduíche a base de molho de carne e queijo derretido que só se encontra aqui. Bastante típicas de Portugal e encontradas em todo canto no Porto são as pastelarias, o equivalente das padarias paulistanas, onde se encontra de pães e doces a sanduíches e refeições.

Duas outras dicas para ter anotadas: o excelente sanduíche de porco do pequeno (e escondido) Flor dos Congregados e uma parada na adorável Taberna da Rua das Flores para comer (ou comprar) queijos, vinhos e doces.

Vitrine de doces da pastelaria Forno dos Clérigos, pertinho da Torre.

Vitrine de doces da pastelaria Forno dos Clérigos, pertinho da Torre de mesmo nome.

O que beber

Tudo é sobre vinho, sim. E não é pra menos. Porto é sinônimo de vinho português há séculos, mas o norte de Portugal tem uma riqueza de uvas e rótulos que é orgulho do país. Vá além dos drinks a base de Porto (já dei a receita aqui) e prove taças de vinhos do Douro (a mais antiga região vinícola demarcada do mundo), vinhos verdes do Minho e vinhos brancos da premiada casta Alvarinho.

Agora, se você não bebe vinho (um pecado perdoável apenas se é abstêmio ou menor de idade) vá de suco de laranja natural: as laranjas de Amares, no Gerês, são doces, suculentas e deliciosas.

Barman da Cruz, um dos nomes do vinho do Porto em Vila Nova de Gaia, preparando uma versão própria do Porto Tônica.

Barman da Cruz, um dos nomes do vinho do Porto em Vila Nova de Gaia, preparando uma versão própria do Porto Tônica.

O que ver

As atrações consideradas essenciais da parte velha do Porto são o Palácio da Bolsa, a Torre dos Clérigos, a Lello livraria, a Ribeira do Douro, a ponte que liga Porto a Vila Nova de Gaia, a Sé, os murais de azulejos da estação São Bento… Mas é possível acrescentar na lista as fachadas azulejadas das casas, a funicular dos guindais, o elevador panorâmico, a Rua das Flores, a Casa da Música, a subida do Douro de barco.

Tem tanta coisa para ver no Porto que pode até ser complicado decidir, por isso o novo Tourist Information Office, perto da Estação São Bento, é um excelente ponto de partida para se informar sobre transportes, atrações fixas ou sazonais da cidade. Toda tecnológica, a loja tem telas sensíveis ao toque com fotografias e gráficos, além de serviços de guarda volumes, Wi Fi e venda de produtos típicos do Porto e do Norte.

Porto também serve como base para passeios de fim-de-semana no norte do país, como a o Parque Nacional da Serra do Gerês, a vila de Ponte de Lima (que já visitei mais de uma vez e escrevi aqui) e as antigas cidades de Braga (leia aqui) e Guimarães.

Das coisas mais fotografáveis do Porto: os azulejos azuis e brancos da Estação São Bento, que contam a história da cidade. Via shutterstock.

Das coisas mais fotografáveis do Porto: os azulejos azuis e brancos da Estação São Bento, que contam a história da cidade. Foto via shutterstock.

“Mas Você Vai Sozinha?”

Como em qualquer cidade com muitos turistas, em Porto também tem batedores de carteiras e afins. Convém ficar de olho no celular e outros pertences quando em áreas muito cheias, principalmente durante a alta temporada (entre junho e agosto). Fora isso, a cidade é bastante segura, andar de ônibus e metrô ou pegar táxis é tranquilo e uma mulher viajando sozinha não causa espanto ou curiosidade. 

Fui sozinha: Porto

Veja também

24h na cidade do Porto
Guia da cidade para quem tem pouco tempo, escrevi para o Chicken Or Pasta em 2014

Porto: Europe’s next food Mecca
Bom post do blogueiro português Nelson Carvalheiro

Taste of Porto Food Tours
Criado por locais e profundos conhecedores do Porto, esse é melhor food tour que já fiz em viagem.

O Porto Encanta
Blog da querida colega Rita Branco, brasileira que escolheu o Porto como lar.

O Porto Cool
Site sempre atualizado com dicas de restaurantes, bares e coisas bacanas para fazer na cidade.

* Importante

Estive no Porto e no norte de Portugal entre julho e agosto de 2016 como convidada do Turismo de Porto e Norte de Portugal.

Foto do destaque:  ilolab via Shutterstock