Itália, Livro

Viajando em livros

Nem sempre dá pra sair pra viajar. Na real, depois de um semestre especialmente intenso (Colômbia, Peru, África do Sul, Itália, Portugal, Estados Unidos) senti que é hora de ficar por aqui. Não significa que não tenha mais viagens em breve, mas que não consigo lidar com a vida na estrada. Tenho filho em idade escolar, dois gatos, um apartamento que precisa ficar com jeito de casa, contas a pagar, amigos para ver, irmã, sobrinho, tia, avó.

Ainda bem que posso viajar na minha própria cidade. E que posso viajar com livros! Abaixo, alguns dos meus preferidos. Indico em inglês porque é como leio, e traduções quando disponíveis. Não são guias de viagem nem livros de dicas, mas histórias reais vividas por pessoas em várias partes do mundo.

Três coisas:
1. Mais dicas de literatura de viagem em português nesse post.
2. Mais dicas de travel writing nesse link.
3. Procure os títulos em português no Estante Virtual antes de qualquer livraria.

Traveler’s Tales Best Travel Writing

Literatura de viagem: Traveler's Tales The Best Travel Writing.

Não é exatamente um livro, mas duas séries de compilações. A cada ano a editora independente Traveler’s Tales recebe centenas de contos de viajantes do mundo todo. Tudo é lido e uma pequena parte é publicada nas duas séries anuais: The Best Travel Writing, Volume 10: True Stories from Around the World
The Best Women’s Travel Writing, Volume 10: True Stories from Around the World. A ideia é publicar autores novos, independentes ou sem experiência, mas isso não significa que a leitura não seja excelente. Cada edição traz pelo menos vinte histórias diferentes, de várias partes do mundo, muitas vezes de solo travel e sempre com uma pegada de descoberta pessoal. Não tem em português.

Jan Morris The World

Literatura de viagem: Jan Morris, The World

Coisa muito séria aqui. Jan Morris já escrevia sobre o mundo uns bons vinte anos antes de eu nascer. E continua escrevendo. Seus escritos sobre Veneza são as impressões definitivas de uma das cidades mais narradas em toda literatura. Venice está disponível em The World: Life and Travel 1950-2000 que, como o título indica, é uma coletânea do melhor produzido por Morris ao longo de uma carreira excepcional. Não tem em português (* ou tem e eu não achei? dá um toque no facebook/twitter se você souber!)

Don George The Way of Wanderlust

literatura de viagem: the way of wanderlust,don george

Don (ele diz que não gosta de ser chamado de George) é uma das forças por trás da Book Passage Conference e um dos mais produtivos escritores de viagem no mundo hoje. Foi editor do San Francisco Chronicle, da Salon, da Lonely Planet (ainda hoje é responsável pelas coletâneas do grupo), da National geographic Traveler, entre muitas outras coisas. The Way of Wanderlust: The Best Travel Writing of Don George é seu primeiro livro, acredite se quiser, e reúne histórias passadas na Grécia, Japão, Estados Unidos, Perú e muito mais. As delicadas ilustrações em aquarela são da artista e escritora Candace Rardon. Se você se interessa em começar a escrever sobre viagens, esse cara é a generosidade em pessoa e a maior inspiração. Leia também o Lonely Planet’s Guide to Travel Writing e a série de coletâneas da Lonely Planet. Não tem em português.

John Steinbeck Travels With Charley in Search of America

Literatura de Viagem: John Steinbeck, Travels With Charley

Mesmo escrevendo ficção, contou sobre lugares, pessoas e momentos importantes dos EUA, em especial em As Vinhas da Ira. Em 1960, aos 58 anos, quis viajar para “se reconectar” com um país que acreditava não conhecer mais. Mandou construir um tipo de caminhão-carro, despediu da esposa, botou o poodle Charley no banco da frente e atravessou os EUA de leste a oeste pelo norte e no sentido contrário pelo sul, cobrindo mais de 16.000 quilômetros. Travels with Charley in Search of America é engraçado, sincero, poético e despretensioso na mesma medida.  É um dos meus livros preferidos. Em português chama Viagens com o Charley.

 

Paul Theroux Dark Star Safari

Literatura de viagem, dark star safari,paul theroux

O único escritor que posso dizer que “mudou minha vida”. Lembro de comprar o Até o Fim do Mundo em português sem saber do que se tratava (do Texas para a Patagônia, de trem!) e me apaixonar imediatamente. Nunca rolou uma decisão do tipo “vou imitar esse cara” mas certamente influenciou minha vontade de viajar. Theroux também escreveu ficção, mas é uma sumidade da literatura de viagem. Com acidez britânica e sem meias palavras, viajou e escreveu sobre trens, sobre pessoas e sobre o mundo. The Great Railway Bazaar, seu relato da longa viagem de trem saindo de Londres, atravessando Leste Europeu e Ásia até o Japão e voltando pela Sibéria na década de 1970, é um dos grandes livros de viagem de todos os tempos, um registro de lugares e modos de vida que não existem mais. O Dark Star Safari: Overland from Cairo to Capetown é um de seus últimos livros on the road e descreve uma viagem do Cairo até a Cidade do Cabo usan.do carro, ônibus, trem e as próprias pernas. Em português chama O Sáfari da Estrela Negra