Índia, Prosa, Viagem

Kerala Blog Express – Palácio Padmanabhapuram

Padmanabhapuram Palace por Sujith / CC licence via flickr https://flic.kr/p/oKxiYg

Uma poeira amarela fina cobre tudo meu que estava fora da mochila – o celular que usei para tirar fotos pela janela do carro, caderno, caneta, o Thiruvananthapuram Chronicle que achei que ia ler. Culpa de uma fresta de janela aberta, invisível mas suficiente para encher o carro de terra.

Viajar de carro foi má idéia – as estradas são sinuosas e lotadas, sempre atravessando uma porção de vilas, o processo é demorado até em distâncias curtas. O carro disputa espaço com gente, vacas, tuk tuks, ônibus e, claro, outros carros. A mão certa é questão de opinião e a buzina é a melhor amiga do motorista, requisitada a cada curva, ultrapassagem, parada ou aceleração. O bom motorista não é apenas esperto e alerta: é um sobrevivente.

Mas um carro com motorista era a única opção, já que não consegui passagem de trem e o único ônibus para Kanyakumari, em Tamil Nadu, partia às cinco e meia da manhã. Com dois dias ainda livres antes de encontrar o grupo do #KeralaBlogExpress, achei que era uma boa chance de sair do super confortável resort onde me hospedaram e ver o que há por perto. Essa cidade no extremo sul da Índia, onde o Oceano Índico entra os mares de Omã e Bengala, foi o destino escolhido.

Where is Trivandrum on the map?

Fazer a viagem com um motorista foi sugestão do pessoal do Turtle Beach Hotel, belo hotel de praia em Kovalam, onde o #KBE me colocou para passar uma noite. É um belo hotel, com quartos com vista pro mar espaçosos, limpos e superconfortávei, um lugar fechado e tranquilo onde as mulheres ocidentais podem nadar na ensolarada piscina com suas roupas de banho sem receber olhares estranhos.

A equipe de recepção pacientemente me informou sobre como ir e voltar de Kanyakumari, cuidou da reserva do hotel na cidade e arrumou uma tabela com os horários do trem de volta. Ah! E transferiram minha mala de viagem direto para o próximo hotel do #KBE, de forma que pude viajar só com minha mochila pequena.

“O trem sai de Kanyakumari vazio, pois é a estação inicial. Você não terá problemas para conseguir voltar, apenas chegue na estação um pouco antes para comprar a passagem,” indicou o gerente. No manhã seguinte, quando estava embarcando no carro, outra dica: “peça para o motorista parar em Padmanabhapuram, fica no caminho e é um passeio bonito”.

Palácio Padmanabhapuram é uma estrutura de 14 prédios de tijolos e granito com tetos, colunas e tudo mais em madeira. A construção original é de 1550 e sofreu alterações conforme o reinado de cada época, mas segue principalmente uma arquitetura típica do Kerala. Foi o centro da dinastia Travancore, que dominou Kerala e parte de Tamil Nadu (o palácio fica na atual divida dos dois estados). A visita segue um caminho indicado por setas, que leva por antigos aposentos reais, sala de armas, torre de observação e afins. Há um guia em cada sala para explicar o que você está vendo – gravuras de 250 anos com a história da visita de Shiva ao palácio, fantásticas peças em madeira entalhada, esculturas de pedra dos séculos 15 e 16, deuses feitos em peças enormes de madeira brilhante e escurecida. É um pouco detonado pra quem quer uma experiência européia de visita de castelo ou museu – mas quem vem à Índia esperando ar-condicionado e chão de mármore está perdendo tempo.

Estive lá num sábado, junto com famílias indianas e pelo menos três excursões escolares diferentes. Há preços (bem) diferentes para indianos e estrangeiros, e um valor para entrar com câmera, mesmo se for de celular. Também não espere pisar com sapatos dentro da área do palácio: todo mundo vai descalço, você também.

* imagem em destaque no começo do post: Padmanabhapuram Palace por Sujith / CC licence via flickr https://flic.kr/p/oKxiYg