Índia, Prosa, Viagem

Quer viajar sozinha? Essas são as seis dicas que considero mais importantes.

Seis dicas que valem pra vida, como quase tudo que aprendemos numa viagem.

1. Aprenda inglês.

Goste ou não, é a língua extra-oficial do mundo. Falando inglês você se vira em quase qualquer lugar. Claro, tem picos em que só é possível se virar falando o dialeto local e/ou linguagem de sinais. E aprender pelo menos algumas frases básicas da língua local mostra educação e gentileza. Mas normalmente estamos falando de cidades européias e norte-americanas, capitais asiáticas, hotéis e hostels, onde mesmo o inglês mais rudimentar é bastante aceito. Ter segurança com esse idioma vai tornar suas viagens muito melhores. Coloque isso na sua lista de prioridades. Destrave. Compre a Speak Up. Perca o medo de passar vergonha. Enfim: resolva.

2. Saiba o que você quer.

Vale pra vida, mas não custa dizer: sem saber o que você quer fazer, você não vai a lugar algum. Sozinho/a você não tem quem tome as decisões por você. Isso é legal demais, mas também é um pouco assustador para quem não está acostumado. Então se você quer ir pro bar encher a cara ou quer ficar debaixo do cobertor lendo um livro, o problema é só seu. Lide bem com isso.

3. Leve apenas o que pode carregar.

Você segura a onda de levar o baby liss, quatro livros e roupas em combinações diferentes para cada dia? Então arrasa. Sou partidária do viajar leve, mas conheço uma garota que vive 95% na estrada e leva dois computadores laptop. Acho um exagero atroz, só que ela tem suas razões e ninguém tem nada a ver com isso. Só não vale deixar o peso literalmente nas costas do outros. A bagagem é sua, cuide dela.

4. Tenha backup.

Perder o passaporte (e cartão e senha e qualquer outra coisa importante desse tipo) é um saco e provavelmente vai estragar sua semana. Backup físico de cartão de crédito, cópia de passaporte e afins ajudam, mas nem sempre é possível. Pode ser bem menos complicado se você tiver backup digital das coisas. Dropbox e afins estão aí pra isso.

5. Compreenda e respeite.

Em alguns lugares na Índia você não pode entrar sem um xale cobrindo a cabeça. Em casas no Japão é esperado que você tire os sapatos. Peça antes de fotografar uma pessoa. Não precisa arrasar no decote pra visitar uma igreja. Avião, trem e ônibus de viagem não é lugar de falar berrando. Observe as pessoas ao seu redor, evite incomodar e se misturar vai ser muito mais fácil.

6. Na dúvida, pergunte.

Uma coisa que aprendi viajando é que a vasta maioria das pessoas no mundo está disposta a ajudar. Seja uma informação, um copo de água, uma dica de onde prato comer: peça e você muito provavelmente vai ter o que procura. Às vezes vagar com um olhar perdido também resolve. Funcionou comigo um dia perdida no Chaala Bazar em Trivandrum – uma indiana se materializou ao meu lado e me indicou o caminho certo. Mas melhor não contar com isso.