Prosa

Quinze coisas que aprendi em 2015

  1. Viajar na janela é melhor que viajar no corredor.
  2. Nada substitui uma história contada com o coração.
  3. A América Latina fala uns dez tipos de espanhol. E também: América Latina kicks serious ass.
  4. Veneza é a cidade mais bonita do mundo e sempre será, não importa o quando os turistas tentem afundá-la.
  5. A distância entre dois pontos depende muito da boa vontade da companhia aérea.
  6. Viajar por vinte dias com uma mochila e uma mala pequena não é só possível, mas sensato.
  7. Arroz misturado com feijão, banana verde, pedaços de queijo e molho de pimenta é um excelente café da manhã.
  8. Meus amigos em São Paulo são as pessoas mais legais do mundo.
  9. Nada, nem amor verdadeiro, é mais importante que uma boa noite de sono.
  10. A única coisa literalmente essencial para viajar é passaporte. O resto, dá pra resolver.
  11. Italians do it better: cinema, roupas, comida, igrejas, sexo.
  12. O mais incrível da meditação é que funciona mesmo.
  13. Seus problemas vão junto quando você viaja.
  14. Quebrar o jejum da manhã com agua morna com limão evita gripe, ajuda digestão e melhora a elasticidade da pele.
  15. 10/10 aeromoças consideram que pashmina é essencial na bagagem de mão.

Três coisas que não vou repetir em 2016

  1. Tentar trabalhar no avião.
  2. Pensamento mágico.
  3. Deixar o cabelo crescer. Afe, chega.

E uma despedida de 2015

Eu não tô conseguindo fazer várias coisas. Não tô conseguindo meditar, entregar trabalho no prazo, receber dinheiro atrasado, pagar contas. Também não tô conseguindo escrever direito. Por isso, encerro o ano no blog com esse post bobo.

Ainda tem edição do newsletter, matérias minha pra sair na Viator Brasil (tipo essa), na TPM (que ganhou site novo, lindo!), na Matador, na Paste Magazine e no blog da Oh Lord.

Segue no Facebook e/ou no Twitter que mando link por lá.